03
jun

Cimento queimado: o novo queridinho do décor

 

Bonito, barato e sustentável, o cimento queimado aparece cada vez mais nos projetos de interiores, agregando um visual urbano e descolado

 

 

Projeto da arquiteta Nina Abadjieff, o cimento queimado foi usado no teto e na parede e dá um ar cool a composição. Foto: Osvaldo Castro

Ótima opção para quem quer e precisa economizar, o cimento queimado tem conquistado cada vez mais espaço nos projetos, graças à sua estética e à sua versatilidade. Trata-se, afinal, de um revestimento que pode ser aplicado no chão ou nas paredes, trazendo um toque rústico muito interessante.

Adepta do material, a arquiteta Nina Abadjieff conta como é feito o cimento queimado: “Nada mais é que um material feito com argamassa, areia e água. Feito este material, joga-se pó de cimento sobre ele ainda úmido. Após a secagem, tem-se esse aspecto rústico e peculiar que dá-se o nome de cimento queimado”.

 Outro grande trunfo do cimento queimado, é o fato dele combinar com tudo. “É um acabamento curinga. Por ter cor neutra e ser um material simples vai bem com qualquer tipo de decoração, desde a mais despojada até a mais clássica”, explica Nina.

Existem vários tipos de cimento queimado, mas uma opção tem sido mais utilizada ultimamente, como relata Nina. “O que é mais usado hoje na decoração são as tintas com o efeito de cimento queimado, pois trazem um toque especial para o ambiente. Caem muito bem nas paredes, já que no piso precisamos ter materiais mais resistentes”, salienta.